O dia

Técnicos indígenas participam de treinamento para diagnóstico de doenças

Objetivo é manter a qualidade da produção desenvolvida pelo Estado

Sob a orientação do microscopista Alcides Alves de Azevedo, técnicos indígenas e servidoras do município de Guajará-Mirim participaram na primeira semana de julho, na sede do Laboratório Central de Saúde Pública de Rondônia (Lacen), em Porto Velho, de uma jornada de treinamento sobre análise de lâminas, visando apresentar diagnósticos cada vez mais precisos para um tratamento mais eficaz da malária e também de outros parasitas (hematozoários), como o parasita da filariose e da doença de Chagas.

O programa de treinamento no âmbito do Lacen tornou-se rotineiro, segundo o diretor geral Luiz Tagliani, já que como laboratório de referência, tem entre outras funções, a responsabilidade de monitorar e controlar os exames de lâmina (malária e outros) realizados em todo estado de Rondônia. Por isso realiza mensalmente cursos de atualização para os técnicos da área, como estratégia para manter a qualidade e a excelência dos resultados.

A atualização proporcionada à equipe de técnicos indígenas, segundo o farmacêutico Acilon Almeida, gerente da área é igual para todos os profissionais da rede em todos os municípios. Isto para que seja fundamental preparar a mão de obra especializada para a realização dos exames. O Lacen monitora e identifica possíveis falhas, podendo atuar nesses casos com mais resolução para corrigi-las.

TREINAMENTO TÉCNICO

Evanilton é servidor do Município de Lábrea, no Amazonas e atende a população indígena da região sul desse estado; Kadje Jaboti é de Ji-Paraná, e atua na área indígena “Baia das Onças”. Já as servidoras do município de Guajará-Mirim, atuam nas áreas indígenas e não-indígenas, pois fazem parte do Núcleo de Vigilância Epidemiológica e Ambiental (Nuvepa).  “Agora voltamos para nosso trabalho com muita segurança para atender nossa população”, diz o técnico indígena Kadje.

Responsável pelo treinamento da equipe técnica indígena, o microscopista Alcides Alves de Azevedo (Funasa) e sua equipe são igualmente entusiastas e veem na iniciativa do Governo de Rondônia – de preparar e atualizar a mão de obra da saúde – uma medida exemplar de política governamental para o setor. “O que precisa agora é preparar os técnicos que vão nos substituir para que esse trabalho possa continuar”, disse. Muitos de sua equipe estão se preparando para a aposentar.

Dislene Queiroz

Etiquetas

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Fechar