Especial

Representante sindical diz que prefeita lhe ameaçou de morte

“Ela me persegue desde o dia em que me tornei representante do Sindsul, agora ficou bem claro o encalço dela”, disse a servidora

Concursada a pouco mais de sete anos, uma servidora pública de 41 anos do município de Chupinguaia, foi ameaçada de morte pela então prefeita da cidade, Sheila Mosso (PV).

As intimidações começaram depois da discordância por parte da servidora, sobre a aprovação de um Projeto de Lei, referente ao aumento nos valores de plantões médicos, na Sessão Ordinária na Câmara de Vereadores, que aconteceu no último dia 11 junho.

Tendo seu nome preservado, a funcionária pública contou que na data que ontem, dia 14 de agosto, “a coisa ficou feia”.
-“A prefeita veio até a Câmara para conversar com vereadores, já que havia outra confusão em pauta (um vereador a acusará de ter chamado a polícia para ele), com isso, ela foi até minha sala e retomou o assunto sobre o Projeto de Lei. Eu disse tudo que já havia dito na Sessão, que mesmo tendo sido aprovado, o PL estava irregular de acordo com a Lei De Responsabilidade Fiscal. Ela se alterou comigo e disse a seguinte frase; ‘EU TE CONHEÇO E SEI QUEM VOCÊ É. TEM UMA PESSOA QUE ME PROCURA SEMPRE E QUER ACABAR COM SUA VIDA. MAS EU NÃO QUERO ISSO, DESDE QUE VOCÊ NÃO ME INCOMODE E VOCÊ ESTÁ ME INCOMODANDO’. Estávamos em cinco pessoas na sala, então tenho testemunhas de que ela disse isso”, contou a servidora.

Ainda na tarde de ontem, a servidora procurou a polícia em Chupinguaia, porém o sistema de registro estava fora do ar, ela então veio até Vilhena na manhã desta quinta-feira, 15 de agosto, e registrou o B.O por aqui.

Representante do Sindicato dos Servidores Municipais do Cone Sul de Rondônia (Sindsul) no município de Chupinguaia, a servidora pública, que é lotada como  Controladora Interna da Câmara de Vereadores, procurou o Sindsul e pediu apoio à Entidade.
-“Ela me persegue desde o dia em que me tornei representante do Sindsul, agora ficou bem claro o encalço dela”, disse.

O presidente do Sindsul, Wanderley Ricardo Campos, juntamente com a vice, Sônia de Fátima, se comprometeram em acompanhar o caso de perto e ofereceu o corpo jurídico do Sincato para amparo da representante.
-“É inadmissível que uma representante do povo aja como ela em relação aos seus servidores. A servidora tem nosso total apoio e acompanharemos o caso de perto” declarou Wanderley.

Fonte
Da Assessoria
Etiquetas

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Fechar