Especial

Cão farejador intercepta mais de 7kg de maconha em aeroporto de Rondônia

Droga vinha de Manaus com destino a Curitiba

A Polícia Militar (PM) do estado de Rondônia confirmou através de sua assessoria a apreensão de mais de sete quilos de maconha que estavam sendo despachados através de uma “mula” – nome dados pelos traficantes a quem se designa transportar entorpecentes – no aeroporto Capital do Café, em Cacoal, região central do estado.

De acordo com a força policial, o entorpecente foi identificado pelo cão farejador Léo, da raça Border Collie, que é membro do canil central da PM. A apreensão da droga e do homem que transportava o produto aconteceu nesta quinta-feira, 1°.

O sujeito preso estava tentando embarcar no voo vespertino, mas o animal conseguiu interceptar o carregamento. A maconha estava embalada em cinco “tijolos” lacrados com papel filme.

Procedência do bagulho

De acordo com a PM de Rondônia, o homem preso relatou que trouxe a maconha de Manaus por via terrestre e seguiria de avião até Cuiabá (MT) e terminaria seu trajeto em Curitiba (PR), onde a droga seria entregue a uma outra pessoa.

Para não prejudicar as investigações, a identidade do homem preso e os detalhes do trabalho foram mantidos em sigilo pelos policiais.

Border Collie – o cão mais inteligente do mundo

Os animais da raça Border Collie ganharam fama na Alemanha pela destreza no pastoreio de ovelhas e ações inteligente. Eles são exímios pastores porque costumam ser silenciosos e não mordem os animais dominados. Seu olhar, para alguns admiradores de animais, é considerado hipnótico, o que é tido como vantagem, uma vez que contribui no trabalho de campo.

Outra habilidade registrada pela raça é a sua força. Há relatos de que o Border Collie já era utilizado na Alemanha no século XVI por sua perspicácia e capacidade de caminhar por até 50 quilômetros em um único dia, em terrenos acidentados e até mesmo no fio germânico.

O Border Collie agora utiliza sua sagacidade para contribuir com o trabalho da segurança pública. Como neste caso, em que Léo driblou a “mula” e conseguiu interceptar mais um carregamento de droga.

Cadeia

É sempre bom lembrar que o Código Penal brasileiro prevê pena de três a 15 anos de cadeia pra quem é flagrado em atos relacionados ao tráfico de drogas. E o seu cumprimento é imediato, ou seja: “caiu” é cana na hora.

Maconha estava escondida em malas, enrolada em papel filme – foto: Divulgação

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo