Destaque

Rondônia recebe primeiro lote da vacina Pfizer contra a covid-19 no Estado

Rondônia ganha reforço para imunizar a população contra a covid-19: o primeiro lote da vacina Pfizer chega ao Estado na tarde desta segunda-feira (03), com 3.510 imunizantes, inicialmente para atender a população de Porto Velho.

De acordo com Ana Flora Gehardt, diretora geral da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) é uma determinação do próprio Ministério da Saúde que as doses sejam aplicadas em moradores das capitais. “As doses estão destinadas para contribuir com a imunização de pessoas com comorbidades, moradoras das capitais. Os próximos lotes devem chegar, também, aos demais municípios”, adianta.

A vacina Pfizer recomenda um intervalo de 12 semanas entre a primeira e a segunda dose, ou seja, um período de três meses. A estratégia de vacinação seguirá aos critérios desenvolvidos pela secretaria de Saúde do município de Porto Velho. “Os vacinadores anotam na carteira de vacinação, a data certa para o retorno, quando deve ser aplicada a segunda dose”, lembra Ana.

A Pfizer requer refrigeração diferenciada para o seu armazenamento, principalmente se for reservada por longo período. Para que sua validade aumente para seis meses, por exemplo, os imunizantes precisam ser armazenados em temperaturas que variam entre -80ºC e -60ºC. O Ministério da Saúde enviará para Rondônia, freezers para comportar as vacinas para que assim, elas possam ser distribuídas, também, nas Regionais de Saúde do interior do Estado. Como em Porto Velho as vacinas serão aplicadas no período inferior a 14 dias, os imunizantes podem ser armazenados à temperatura de -25ºC a -15ºC, ou seja, dentro das características atendidas pela Rede de Frio instalada na capital de Rondônia.

Somados à Pfizer em Rondônia estão sendo administradas vacinas CoronaVac (Butantã) e AstraZeneca (Fiocruz), de ambos os laboratórios como primeira e segunda doses.

GRUPOS PRIORITÁRIOS

Os grupos prioritários que irão receber a primeira dose da vacina Pfizer são compostos por: pessoas com síndrome de down (18 a 59 anos); Pessoas com doença renal em terapia de substituição – diálise – (18 a 59 anos); gestantes e puérperas (mães com bebês de até 45 dias) com comorbidades (18 a 59 anos); pessoas com comorbidades (55 a 59 anos) e pessoas com deficiência permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (55 a 59 anos).

Fonte
Semcom

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo