O dia

Pintor morto com 13 tiros na área rural de Vilhena foi motivado por furto, diz delegado

O delegado Núbio Lopes, responsável pela Delegacia Especializada na Repressão de Crimes Contra Vida (DERCCV), apresentou na manhã desta terça-feira, 05, mais um caso elucidado, em Vilhena.

Trata-se de um homicídio contra José Pinto da Silva, de 50 anos, ocorrido no dia 11 de abril de 2016, na linha do gavião, área rural de Vilhena

De acordo com Núbio, apurou-se que, no dia do fato, o denunciado T.A.C, buscou José Pinto, de motocicleta, em sua casa, e depois o matou desferindo treze disparos de arma fogo. Depois desovou o corpo na estrada vicinal da linha do gavião.

O delegado disse que a motivação do crime seria decorrente a um furto de instrumentos de trabalho do acusado e o autor do crime seria a vítima.

Segundo Núbio, José e o denunciado trabalhavam de pintores e ambos se conheceram em uma obra. “O acusado desconfiou que a vítima foi quem teria furtado suas ferramentas e o procurou por duas vezes na sua casa, mas não o localizou. Porém, na terceira tentativa, encontrou José e o informou dissimulando que teria um serviço para ele. Com isso, a vítima foi com o acusado na sua motocicleta e nesse termo aconteceu o crime”, explica.

O Delegado reforçou, ainda, que após o crime, o denunciado mudou-se para a cidade de Diamantina, no Estado de Mato Grosso. “Ele se apresentou e confessou o crime e com isso a Polícia Civil optou em não representar pela prisão preventiva. Também, na época em que o acusado se apresentou não tinha passagens pela polícia”, pontou.

Núbio finalizou dizendo que o caso foi concluído no dia 17 de outubro deste ano e o inquérito foi enviado para o Ministério Público. Na conclusão do processo, o acusado foi denunciado por homicídio qualificado

 

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo