Política

Samir Ali coloca em debate na CPI da Energisa questão da dívida do Município com a empresa

O vereador Samir Ali (PSDB) aproveitou a passagem da CPI da Energisa instaurada pela Assembleia Legislativa para colocar em pauta a polêmica questão da dívida que o Município tem com a empresa, ainda da época das Centrais Elétricas de Rondônia, assunto que gerou controvérsia semanas atrás dada a urgência com que o prefeito Eduardo Tsuru tentou fechar negociação para quitar o débito, calculado em cerca de R$ 36 milhões. O vereador aproveitou o gancho dado pelos próprios deputados presentes acerca do montante que a companhia de energia deve ao Estado, que seria de R$ 1,7 bilhões, relativos a ICMS e também oriundos da empresa estatal privatizada. No ponto de vista de Samir, a negociação em âmbito local deveria ser temporariamente suspensa e acompanhar o desenrolar das negociações entre a Energisa e o Estado.

O argumento do vereador vilhenense é sustentado pelo fato do Município ter direito a uma fatia do montante que a empresa deve ao Estado, por isso as duas negociações devem ser feitas em paralelo. Ele alega que a Energisa protela a negociação com o Estado ao passo que exige pagamento do Município, algo que não considera correto. Samir conseguiu atrair a atenção do relator da CPI, Jair Montes (Avante) com relação â questão. Concordando com a argumentação, o deputado sugeriu cautela nas negociações entre o Município e a Energisa, acompanhando o desenrolar das negociações entre a companhia e o Governo de Rondônia. Outros deputados presentes, como Rosangela Donadon (PDT), firmaram posição no sentido que a Energisa seja obrigada a quitar o total da dívida com o Estado sem nenhum abatimento. “Assumir o passivo da Ceron era uma das condições imposta na privatização da empresa, e não é justo que o Estado perca centenas de milhões de reais enquanto presta serviços de qualidade questionáveis à população”, afirmou.

Ainda em sua fala, Jair Montes afirmou que os poderes legislativos municipais e do Estado devem conclamar a bancada federal a realizar um grande ato de protesto contra a Energisa em âmbito estadual, para chamar a atenção do pais com relação ao que acontece em Rondônia e outros estados em que a empresa opera. “Há ações semelhantes a esta que a Assembleia Legislativa de Rondônia promove com a CPI em outros estados, e está na hora de chamarmos a atenção do governo federal e da Aneel com relação aos problemas causados pelas privatizações das empresas de fornecimento de energia, que estão penalizando de forma drástica a população”, discursou.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo