DestaquePolítica

Prefeitos cortam seus próprios salários e de correligionários; mas em Vilhena ideia nem foi cogitada

Cortes salariais chegaram a 50% em alguns casos; prejuízos econômicos preocupam empresários

Já circula país a fora diversas notícias de que vários prefeitos já assinaram decretos reduzindo seus próprios salários bem como dos seus vices, secretários e até mesmo servidores comissionados e de efetivos em funções gratificadas.

Alguns vídeos que circulam pela internet apresentam falas de prefeitos que reduziram em até 50% seus próprios vencimentos e de seus correligionários.

Um dos exemplos mais emblemáticos foi da prefeitura de Garanhuns (PE). Os salários foram reduzidos em 30%.

A ideia já circula em grupos de redes sociais de Vilhena. Alguns internautas mais fundamentalistas defendem a ideia de que os salários de prefeito, vice, secretários, comissionados e até mesmo vereadores sejam integralmente destinados a projetos de combate ao coronavírus.

A Gazeta Amazônica percorreu os corredores da política local e constatou que não há sequer possibilidade de redução nos salários dos agentes públicos eletivos ou indicados para cargos de confiança. A possibilidade sequer foi debatida, segundo algumas fontes do site.

A quarentena determinada pelo município de Vilhena está deixando os comerciantes preocupados por conta dos prejuízos causados.

Diversos empresários já falaram em demissões e até circulou lista de quantos funcionários cada empresa pretende demitir na tentativa de equilibrar a conta no final do mês.

Na noite deste domingo, 5, o prefeito e Vilhena Eduardo Japonês (PV) gravou um áudio que circulou por grupos de empresários no qual dizia que o comitê gestor de combate ao Coronavírus estava propenso a felixibiliar o “decreto das portas fechadas” e retomar a rotina do comércio local.

Porém com a descoberta do 1° caso de covid-19 no município, a decisão de restringir as atividades comerciais no município prevaleceu.

 

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo