O dia

Acusado de participar de homicídio é absolvido por falta de provas

Ministério Público relatou que não haviam provas de participação o crime

Rosalino Bilhargra Gonçalves, 35, foi absolvido pelo júri popular da acusação de ser co-autor do crime de homicídio contra Josimar Rodrigues da Silva.

O réu foi julgado na manhã desta segunda-feira, 7, no Fórum Desembargador Fagundes, em Vilhena.

O crime aconteceu na noite do dia 5 de janeiro de 2018, na Avenida 125, no município de Chupinguaia.

A sessão do julgamento foi presidida pela Juíza de Direito, Liliane Pegoraro Bilharva, com participação do promotor de justiça Elício Almeida e Silva e o defensor público Matheus Lichy.

Na sua tese, o promotor disse que, conforme as investigações, no dia do fato, não há provas que sustentem que Rosalino tenha participação no assassinato de Josimar e pediu aos jurados pela absolvição do acusado.

Por sua vez, a defesa argumentou que no dia do crime, a esposa da vítima relatou a polícia que o autor do assassinato de Josimar seria um homem conhecido como Emerson Conceição. Ele foi condenado pelo júri popular há 14 anos de reclusão e reforçou aos jurados também para absolver Rosalino.

O caso

Conforme a denúncia dos autos, Emerson Conceição de Souza, de 37 anos, e o réu, invadiram a casa da vítima, Josimar da Silva Rodrigues de Sá, à procura de outro rapaz de nome Lucas; e, quando ele se negou a revelar o paradeiro do jovem procurado, Emerson atirou no peito e depois desferiu diversos golpes na cabeça do rapaz, usando um objeto que não foi localizado.

Ainda de acordo com os autos, a motivação para o crime seria um suposto envolvimento de Lucas no assassinato, três dias antes, do enteado de Emerson. No entanto, as investigações mostraram que nem a vítima Josimar, nem Lucas, que escapou porque não foi encontrado, não tiveram qualquer envolvimento com a morte de Henrique da Cruz dos Santos, enteado de Emerson

Etiquetas

Artigos relacionados

Fechar