DestaquePolítica

Mesmo com indícios de irregularidades em entrega de cestas básicas, secretário deve permanecer no comando da Semed

Wilian Braga confirmou que entregou cestas com pré-candidata, desobedeceu decreto do prefeito e não realizou controle da distribuição

Depois de sua atabalhoada passagem pela câmara de vereadores na manhã da terça-feira, 5, em que confirmou ter entregado cestas básicas compostas por produtos da merenda escolar juntamente com a ex-titular da Semed, a professora Vivian Repsold, que é pré-candidata a vereadora, o secretário Wilian Braga e o próprio prefeito de Vilhena, Eduardo Japonês (PV) preferiram o silêncio após a sessão que escancarou o comportamento, no mínimo, antiprofissional do chefe da pasta.

O que se comenta nos bastidores da política local é que o prefeito não pretende exonerar o secretário de educação, e que ele (o prefeito) não gostou nada do posicionamento da câmara de vereadores em investigar as denúncias recebidas contra sua administração. O site tentou contato com a assessoria de comunicação do município para tentar saber o posicionamento oficial da prefeitura em relação ao assunto, porém até o fechamento desta matéria a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) não havia respondido às mensagens.

Denúncia

Sabatina na Câmara de Vereadores -foto: Rômulo Azevedo/Gazeta Amazônica

Os vereadores Ronildo Macedo (PV), Wilson Tabalipa (PV) e Samir Ali (Podemos) receberam uma denúncia acerca de possível distribuição irregular das cestas básicas montadas pela Semed, além de uso irregular de veículo público.

Os três vereadores conduziram a investigação, conversaram com membros da Semed e durante depoimento de Wilian Braga ficou claro que a secretaria realizou o trabalho sem seguir as diretrizes estabelecidas por lei e que respaldava as entregas.

Durante declarações, Wilian disse não se lembrar para quem havia entregue as cestas junto com a ex-secretária e que o Conselho de Monitoramento Escolar não tinha ciência dos beneficiados.

A denúncia que chegou à casa de leis de Vilhena será encaminhada ao Ministério Público (MP) e ao Ministério Público Federal (MPF).

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo