Especial

Fiscalização acirrada em Espigão do Oeste gera prejuízos em Vilhena

Prestadoras de serviço, revendedoras e representantes comerciais que mantém clientes em Espigão já confirmaram problemas com pagamentos

O clima de tensão no município de Espigão do Oeste, que fica na região leste do Estado de Rondônia, distante cerca de pouco mais de 210 quilômetros de Vilhena, começa a gerar prejuízos financeiros ao estado e também a empresários e comerciantes de um modo geral.

A equipe de reportagem do site Gazeta Amazônica conversou com representantes comerciais com sede em Vilhena e constatou que o final do mês promete ser magro pra muitos profissionais. Isso porque há diversos clientes que mantém seus empreendimentos em Espigão, mas fazem compras de peças e produtos em Vilhena.

De acordo com as informações colhidas, muitos cheques têm voltado e a justificativa que os clientes dão é justamente o fato de o cerco fiscalizatório estar cada vez mais intenso por parte do Governo Federal na região de Espigão do Oeste, onde existe a reserva Roosevelt.

Um dos profissionais que conversou com o site relatou que o financeiro da empresa da qual faz parte está entrando em contato com os clientes daquela região para saber quem poderá pagar, a fim de que seja feito um estimativo de arrecadação até o final do mês, tendo em vista que os salários de muitos profissionais são complementados pela comissão das vendas.

A situação trouxe até o município o Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Sales, juntamente com o governador Marcos Rocha (PSL) na tentativa de acalmar os ânimos. Relatos de pessoas que trabalham na região dão conta de as madeireiras instaladas no município estão sendo fechadas e muitas pessoas demitidas.

Oficinas que faziam manutenção no maquinário que atua na região estão com baixa nos serviços e há reclamações de que vários veículos foram incinerados por agentes de órgão de preservação ambiental por estarem em área proibida.

O site entrou em contato com a prefeitura de Espigão do Oeste a fim de se obter mais detalhes acerca do assunto, porém até o fechamento desta matéria, não houve retorno.

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo