Destaque

Comissão de esposas dos policiais e bombeiros militares iniciam protestos nesta quinta em frente os quartéis de todo o Estado

Após uma reunião virtual a Comissão de Esposas dos Policiais e Bombeiros Militares de Rondônia aprovaram um acampamento em forma manifesto contra o governador Marcos Rocha   nesta quinta-feira a partir das 20h00 em frente os quartéis de todo o Estado.

De acordo com uma das representantes da Comissão de Esposas de Policiais e Bombeiros Militares, o acampamento prévio em forma de protesto é no reajuste de salários dos militares do Estado.

No dia 31 de maio, familiares de militares em todo Estado realizaram protestos reivindicando um acordo que foi feito junto ao Governo do Estado em 2020 para o reajuste de perdas salariais da categoria.

Em resposta ao protesto o governador Marcos Rocha afirmou que haviam legislações que impedia de reajustar salários dos militares estaduais,  porém no último dia 04, a Comissão de Esposas dos Policiais e Bombeiros Militares de Rondônia soltaram a seguinte nota:

 

Senhor Governador Marcos Rocha, desde a criação da Polícia e Bombeiro Militar de Rondônia que as esposas lutam por melhorias salariais para seus maridos, pois têm conhecimento dos impedimentos legais que os encarceram mesmo em um país considerado democrático. Certos de que, infelizmente, os governos se utilizam dessa fragilidade para não fazer valer os seus direitos!

Por isso, não desafie as esposas dos militares, pois ainda que estejamos em poucas, por termos nossos empregos e outros afazeres como os cuidados dos filhos, que estão em casa estudando, somos muitas. Nossa força nunca foi medida pela quantidade e sim por quem nós representamos! O senhor mais do que ninguém sabe que nenhum militar é capaz de impedir a esposa de um militar em manifestação, mesmo aqueles enviados da Força Nacional. Não há na história nenhum movimento de esposas, finalizado sem vitórias.

Essa carta é uma comunicação prévia de nossas ações. Não queremos que o Estado seja palco de mais um movimento paredista! Não queremos em meio a uma PANDEMIA, cobrar de forma mais extrema o que é nosso por direito.

Governador Marcos Rocha, o reajuste que queremos foi economizado dentro da própria Instituição, cortado da própria carne, por isso é um direito de nossos maridos!

Governador, não queira fazer política com o nosso orçamento, pois esse deve ser devolvido como reajuste salarial, o que foi prometido deve ser cumprido!

Já fomos chamadas de baderneiras, arruaceiras e até de mulheres que não tem o que fazer. Todavia, o senhor sabe que isso não é verdade, pois trabalhamos dignamente para ajudar no sustento do lar, contudo, por nossas famílias, lutamos por nossos maridos por serem impedimentos por lei.

Fonte
Redação/Petter Vargas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo