DestaquePolítica

Comitê de combate ao coronavírus em Vilhena anuncia liberação de novos setores comerciais; veja lista

As empresas autorizadas a voltar ao trabalho deverão seguir padrões rigorosos de higiene

A assessoria da prefeitura de Vilhena anunciou na tarde deste domingo, 12, a flexibilização do decreto assinado pelo prefeito Eduardo Japonês (PV) acerca do fechamento do comércio devido a pandemia do coronavírus. A modificação havia sido anunciada nessa semana pelo chefe do executivo municipal, entretanto, alguns setores da economia local deverão permanecer com as portas fechadas.

A justiça estadual determinou que os decretos municipais devem seguir parâmetros semelhantes àquilo que está estipulado no decreto estadual sobre o assunto. O que ficou decidido pelo comitê municipal de enfrentamento ao coronavírus foi maior rigor nos cuidados com a higiene e proteção de profissionais e clientes.

Ainda de acordo com o prefeito de Vilhena, a partir desta segunda-feira, 13, todas as pessoas deverão usar máscaras.

Setores liberados a retomar atividades

Segundo a prefeitura, as empresas do ramo de alimentação que já podiam atender por meio de delivery agora poderão também abrir para atendimento ao público, sem permitir, no entanto, o self-service. Este setor deverá ainda observar regras rígidas de limpeza dos equipamentos, móveis e utensílios, proteção dos funcionários, disponibilização de produtos de assepsia, garantir distância entre as mesas, permitir entrada de apenas 40% da capacidade máxima do estabelecimento, bem como vedar a entrada de clientes desprotegidos ou integrantes do grupo de risco.

Lojas de confecções, brinquedos, artigos esportivos e calçados, livrarias, papelarias, secos e molhados e armarinhos, lojas de Eletrodomésticos, equipamentos de informática e telefonia, concessionária, garagens, lojas de venda de veículos, locadoras, vistorias de veículos, lojas de máquinas e implementos agrícolas, oficinas de conserto de motocicletas e bicicletas, óticas e relojoarias, lojas de instrumentos musicais, eletrônicos e equipamentos de sons, lavanderias, ateliês de costuras, tinturarias, tapeçarias, sapatarias, conveniência de postos de combustíveis, vedado o consumo no local, auto escolas (sem aulas práticas presenciais), escolas de música, artes e idiomas vedadas aulas presenciais, outras atividades econômicas com baixo fluxo de pessoas e prestadas sem contato físico e sem utilização de instrumentos, utensílios e equipamentos comuns entre vários usuários.

Os estabelecimentos autorizados a funcionar deverão disponibilizar proteção para seus funcionários, higienização de seus veículos, proibir ingresso de clientes dos grupos de riscos, realizar controle de acesso e permanência, a partir de 15 de abril, apenas de clientes com máscaras de proteção facial, garantir a distância de, no mínimo, dois metros entre os clientes nas filas formadas fora do estabelecimento, entre outros detalhes e exceções que podem ser consultadas no decreto completo, disponível no link: www.bit.ly/decreto48974comite.

Fonte
Da Assessoria

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo