Destaque

Moradores denunciam lentidão do SAAE em arrumar serviço mal feito em avenida do Embratel

Mesmo com dias de estiagem, autarquia justificou lentidão alegando muita chuva

Após a morte do estudante Jefferson Bruno Souza Souto, 21 anos, que morreu no final da noite desta quarta-feira, 12, após derrapar a motocicleta em que estava no lamaçal provocado pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Vilhena (SAAE) em plena Major Arantes (reveja aqui) diversas reclamações sobre falta de eficiência por parte da autarquia começaram a surgir nas redes sociais.

De acordo com uma das publicações, na Avenida Goiás, bairro Embratel, servidores da autarquia realizaram serviço semelhante ao da Major Amarante (que se tornou o epicentro de uma morte de trânsito) O lamaçal e a valeta estão expostos há mais de 20 dias de acordo com um morador da rua.

Ele contou à reportagem da Gazeta Amazônica que os moradores realizaram diversas reclamações formais ao SAAE (ele mesmo fez quatro) mas até agora o problema não foi resolvido. “Minha esposa esteve pessoalmente no SAAE, reclamou com o Maciel (chefe da autarquia) mas até agora nada”, reclamou.

Moradores temem acidente em decorrência da lentidão da autarquia

O argumento utilizado pelo SAAE para não arrumar o estrago provocado por ele mesmo na avenida é de que o serviço se torna inútil devido ao excesso de chuva. “Mas dentro desse período, houve vários dias de estiagem que seria possível resolver o problema e eles não estiveram lá. Será que estão aguardando outra pessoa morrer pra poder agir?” indaga o morador revoltado.

A situação na avenida causa mais revolta porque a o buraco do SAAE foi aberto no local um dia depois de a Secretaria Municipal de Obras (Semosp) ter realizado o patrolamento da via. “O Serviço da Semosp ficou muito bom, mas logo depois o SAAE foi lá e estragou. Até agora não arrumaram”, diz o morador.

O site deixa espaço aberto caso o SAAE tenha vontade de se manifestar acerca do assunto em questão.

Etiquetas

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Fechar