Destaque

Por 7 a 4, vereadores rejeitam CPI nas ações de combate a Covid-19 no município

Na sessão ordinária realizada na manhã desta terça-feira, 13, na Câmara de Vereadores de Vilhena, rejeitou por 7 votos contra 4 a favor, o  requerimento a instauração da Comissão Parlamentar de Inquérito [CPI) que investiga a prefeitura os gastos financeiros nas ações de combate a Covid-19

O assunto legislativo municipal teve discussões acalorados entre os edis, que  manifestaram seus discursos   a favor  e contra à CPI.  Os vereadores que eram favor do requerimento pelos vereadores  Samir Ali (Podemos), Dhonatan Pagani (PSDB),  Clerida Alves (Avante), Nica Cabo João (PSC) e Ademir Alves (DEM), este que surpreendeu os colegas do grupo a favor ao  retirar  sua assinatura da CPI na segunda-feira, 12 (ontem).

Já por outro lado, entre os parlamentares contra o requerimento  foram: Wilson Tabalipa (PV), Pedrinho Sanches (Avante), Zé Duda (PSB), Zeca da Discolândia (PSB), Zezinho da Diságua (PSD), Vivian Repessold (PP), Sargento Damascena (PROS) e o presidente Ronildo Macedo (PV), que não votou, mas se manifestou ser contra  a CPI.

 Influencia do executivo

Para o vereador Samir Ali (Podemos) que se manifestou desde o inicio  favor do requerimento, existiu uma influencia por parte do executivo para que a CPI não acontecesse e de fato é estranho o colega parlamentar Ademir Alves ter retirado um dia antes da votação sua assinatura do requerimento.

“Eu penso que qualquer gestor deve ser primeiro a querer transparência e seriedade com recursos públicos e a CPI traria isso para dar respostas a população, na qual é isso que espera do executivo e acredito a câmara hoje cometeu um erro em não abrir a CPI, mas eu respeito a opinião dos meus colegas que foram contrários, porém nos vamos continuar buscando fiscalizar para saber em que os recursos que vem para o município são gastos”, acrescentou o parlamentar.

 Presidente contra a CPI

Por outro lado, o presidente da câmara Ronildo Macedo ressaltou que não é o momento apropriado de uma CPI. Para o edil, a investigação pode aguardar dois o três meses. “A questão é tem gente de mal caráter que se aproveitou do momento para fazer politicagem eleitoral, que querem a cabeça do prefeito e isso se tornou tão chato e medíocre. As pessoas falam que sou pau mandado do Eduardo, mas não sabem que fui um dos vereadores que mais cobrou e fiscalizou na gestão passado os recursos gastos pelo munícipio, portanto respeito a opinião de cada um, mas, eu sou contra essa CPI”, finalizou o chefe da casa de leis municipal.

Via
Redação/Petter Vargas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo