O dia

Cresce o número de pessoas infectadas pelo HIV no Cone Sul de Rondônia

Atualmente 415 pessoas já foram diagnosticadas com vírus na região

O número de casos de pessoas infectadas pelo vírus HIV, nos municípios do Cone Sul de Rondônia, vem crescendo desde 2017, segundo dados do Serviço de Assistência Especializada (SAE) e Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) de Vilhena.

De acordo com o enfermeiro do SAE e CTA, Luis Antonio de Oliveira, em 2018 foram registrados 37 novos casos na região. Já em 2017 foram apenas 33. A situação preocupa já que a doença não tem cura e, sem tratamento adequado, pode causar complicações que levam à morte.

O enfermeiro Luis Antonio informou que o Cone Sul possui 415 casos de portadores do vírus diagnosticados. “O índice de pessoas com vírus cresceu, pois também houve aumento na procura para fazer o exame”, aponta o enfermeiro que informou também que entre os meses de outubro e novembro do ano passado cerca de 2440 pessoas fizeram em Vilhena, o teste rápido para detectar o vírus do HIV.

Além do SAE e CTA, atualmente o teste rápido é oferecido em todas as Unidades Básicas de Saúde de Vilhena e no Hospital Regional. De acordo com o enfermeiro, qualquer pessoa pode fazer o teste rápido que detecta HIV, hepatite B e C e sífilis em cerca de 30 minutos.

Segundo o enfermeiro, as pessoas que são diagnosticadas com vírus HIV recebem acompanhamento e tratamento gratuitamente. Luis Antonio ressalta que a melhor forma de evitar a doença é a prevenção. Ele informou que nas unidades de saúde são distribuídas preservativos gratuitamente.

“As pessoas não tem noção do perigo em que se expõe. Exercitar o autocuidado, seja para as questões do HIV ou outros agravos, é fundamental para manter a saúde”, destacou o enfermeiro.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo