O dia

Aparelho de raio-x de última geração quebra por falta de manutenção em Vilhena

Secretaria de saúde não explica como aparelho que foi entregue em 2018 e custou R$ 500 mil simplesmente quebrou

Servidores lotados no Hospital Regional de Vilhena confirmaram à redação do site Gazeta Amazônica que o aparelho de raio-X da maior unidade de saúde do cone sul e noroeste do Mato-Grosso está quebrado desde a quarta-feira, 9.

Ainda de acordo com as informações repassadas, o aparelho sofreu a pane por falta de manutenção adequada. O caso vem repercutindo nos bastidores da política principalmente porque o equipamento foi instalado em janeiro de 2018 e custou, à época, R$ 500 mil, recurso oriundo de emenda do senador Acir Gurgacz (PDT).

O aparelho de raio-x de Vilhena é um modelo de última geração. Tecnicamente 50 vezes melhor do que os analógicos, ainda impressos em filme, os exames através do raio-x digital proporcionam mais qualidade e segurança aos médicos no diagnóstico de fraturas, rupturas de articulações, alterações pulmonares e exames de contraste, dentre outras finalidades.

O que diz a Semus?

Em contato com a assessoria da Secretaria Municipal de Saúde (Semus) a equipe de reportagem foi informada que de fato o aparelho está quebrado e a direção do Hospital Regional de Vilhena aguarda a empresa que venceu a licitação para entrega do aparelho venha ao município realizar a manutenção.

De acordo com a assessoria, o município aguardava a visita preventiva do aparelho, mas agora com a efetiva quebra, a empresa deverá prestar assistência corretiva. Os exames dos pacientes, de acordo com a assessoria estão sendo realizados no Centro Especializado de Reabilitação (CER).

Questionada acerca do motivo pelo qual o aparelho quebrou, a assessoria da Semus não respondeu aos questionamentos da equipe de reportagem.

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo