Deu na WEB

Chegou bêbado depois do jogo e foi flagrado mantendo relações sexuais com cadáver

Polícia investiga caso bizarro

A vitória do Flamengo na copa Libertadores da América rendeu inúmeras histórias. Algumas engraçadas, outras emocionantes e até mesmo bizarras como esta que aconteceu no Instituto Médico Legal (IML) da cidade de Manaus (AM). De acordo com relatório da Polícia Civil, um perito criminal flagrou o maqueiro W.S.S. (sua identidade será mantida em sigilo por conta de o caso ainda estar em processo de investigação) mantendo relações sexuais com o cadáver de uma mulher que estava no local para ser submetido a uma necropsia.

De acordo com nota emitida pelo órgão, assim que o caso chegou ao Departamento de Polícia Técnico e Científica (DPTC) o diretor Lin Hung exonerou o maqueiro e também outro servidor que estava embriagado durante seu horário de expediente.

Veja nota da Polícia Civil sobre o assunto:

“O Departamento de Polícia Técnico-Científica do Amazonas (DPTC) informa que pediu abertura de um inquérito policial para investigar denúncias de prática de necrofilia por um auxiliar de necropsia do órgão. O caso está sendo investigado pelo 27 DIP.

O auxiliar de necropsia foi demitido juntamente com um auxiliar administrativo por faltas funcionais graves praticadas durante o plantão do dia 23 de novembro, em que ambos deixaram o expediente para assistir ao jogo final da Copa Libertadores e retornaram embriagados, segundo relatos de outros profissionais do plantão.

Outro fato grave denunciado por profissionais do plantão diz respeito ao auxiliar de necropsia. Segundo os relatos, ele foi flagrado em situação suspeita na sala de necropsia, na madrugada do domingo 24 de novembro. Assim que adentraram no recinto, encontraram-no arrumando as calças enquanto descia subitamente de uma mesa de necropsia onde havia um cadáver do sexo feminino.

O caso está em investigação pela Polícia Civil e o suspeito não faz mais parte dos quadros funcionais do IML. Seguindo determinações da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), o DPTC tomou todas as medidas cabíveis para o esclarecimento célere das denúncias.”

Fonte
A Crítica

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo