DestaquePolítica

Prefeitura confirma licitação para reforma do Hospital Regional de Vilhena

Obra está orçada em quase R$ 1.7 milhão

A Prefeitura de Vilhena está investindo R$ 2,3 milhões no Hospital Regional de Vilhena (HRV), sendo R$ 1,7 milhão para ampla reforma estrutural e outros R$ 600 mil para projeto de combate e prevenção de incêndios.

Os recursos são oriundos de emenda parlamentar do ex-senador Valdir Raupp (MDB) e da ex-deputada federal Marinha Raupp (MDB), que destinaram a verba ainda em seus mandatos.

A Prefeitura de Vilhena realizou a licitação da reforma do hospital na manhã desta quinta-feira, 14. A reforma da unidade vai abranger os setores de atendimento, salas vermelha e amarela, triagem, consultórios, setor administrativo e pronto-socorro, além da ala de ortopedia.

De acordo com a Secretaria Municipal de Planejamento (Semplan), o projeto vai permitir uma importante reorganização desses setores, além de executar uma ampla reforma elétrica de todo o prédio. Mesmo durante a obra, a unidade continuará atendendo normalmente.

Apenas duas empresas participaram da licitação: Construvil, de Vilhena, e Marok, da cidade de Porto Velho. Todo o processo foi transmitido, ao vivo, pela internet, na página da Prefeitura no Facebook e acompanhado pela vereadora Vera da Farmácia (PP).

Pela tomada de preço, a empresa Marok foi classificada em primeiro lugar, com a proposta no valor de R$ 1.684.676,24, e a Construvil, que ofereceu o valor de R$ 1.689.192,28, ficou em segundo lugar.

Agora os engenheiros da Semplan analisarão as planilhas e darão parecer sobre os documentos apresentados pela empresa vencedora. O resultado deve sair na próxima semana.

Outros R$ 600 mil serão investidos em um projeto de combate e prevenção de incêndios em toda a unidade hospitalar. O projeto ainda está em elaboração e será útil para reforçar a segurança do prédio.

Para resolver este problema crônico do município, a Prefeitura trabalha no projeto de construção de um novo prédio para o Hospital Regional.

A obra já tem emenda da bancada federal garantida no valor de quase R$ 20 milhões. A previsão era iniciar as obras neste ano, porém, a incerteza nos calendários de investimentos devido à pandemia do novo coronavírus poder adiar o começo da edificação para 2021.

A construção deve demorar pelo menos cinco anos e, enquanto isso, o prédio atual do hospital deve continuar oferecendo condições de atendimento adequadas para a região de mais de 250 mil habitantes coberta pela Saúde de Vilhena.

Fonte
Semcom

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo