Especial

Quebra de Raio-X em Vilhena revela que aparelho estava sobrecarregado

Diretoria do Regional diz que aparelhos de Raio-X em Colorado e Cerejeiras estão quebrados há meses; demanda foi canalizada para Vilhena

A equipe de reportagem do site Gazeta Amazônica conversou com o diretor do Hospital Regional de Vilhena, Faiçal Akkari, para saber mais detalhes acerca da quebra do aparelho de Raio-x que é utilizado na unidade de saúde (relembre AQUI).

Faiçal relatou que uma das placas do aparelho foi danificada, fato que o impede de funcionar. Ainda segundo o diretor da unidade, a empresa que forneceu o Raio-x ao município, a Philips, já está ciente do problema e ficou de encaminhar um técnico para avaliar o dano do equipamento.

Ainda de acordo com Faiçal, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) acredita que as oscilações constantes de energia registradas nas últimas semanadas contribuíram para a quebra do aparelho. “Nossa demanda de atendimento aumentou consideravelmente nos últimos meses. O Raio-x tem sido utilizado com muita frequência, fato que possivelmente corrobora com o problema”, acredita o diretor.

E agora?

Faiçal contou que mesmo com o equipamento inoperante, os atendimentos de Raio-X continuam sendo feitos normalmente. “Aqueles pacientes que podem se locomover, estamos utilizando o espaço do Centro Especializado de Reabilitação (CER). Aqueles que não têm condições de locomoção, estamos utilizando o aparelho móvel de Raio-x”, garantiu o chefe da unidade.

Aparelho novo

O aparelho de Raio-x que quebrou no Hospital Regional é novo, possui pouco mais de um ano de uso. O equipamento foi adquirido pelo município em janeiro de 2018, e custou R$ 500 mil. Trata-se de um aparelho de última geração, digital, fruto de emenda do senador Acir Gurgacz (PDT).

Inchaço

Ainda segundo o diretor da unidade de saúde, o município de Vilhena vem sofrendo com inchaço de fila do setor de Raio-x. Isso porque, segundo o próprio Faiçal, os aparelhos dos município de Colorado do Oeste e Cerejeiras estão quebrados há meses e toda as demandas dos dois municípios foram canalizadas para Vilhena. “Com isso estamos sobrecarregados, fato que também pode ter contribuído para a quebra do aparelho”, opinou.

Os prefeitos de Colorado do Oeste e Cerejeiras foram contatados pela equipe de reportagem, porém até o fechamento desta matéria, não responderam aos questionamentos.

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo