DestaquePolítica

Covid-19: prefeito de Vilhena entra em quarentena após apresentar sintomas de gripe

Informações são da assessoria de Eduardo Japonês

Após apresentar sintomas leves de gripe no fim deste domingo, 14, o prefeito de Vilhena, Eduardo Japonês (PV), passou por consulta na segunda-feira, 15. Com febre, coriza e dor de cabeça, o prefeito recebeu recomendação médica de isolamento domiciliar.

A coleta de amostra para exame laboratorial por RT-PCR deve ser feita na quinta-feira, respeitando o prazo mínimo que o método exige desde o surgimento dos sintomas para que a detecção do vírus possa acontecer.

“A Prefeitura tem feito uma batalha árdua contra a pandemia no município e nós, que estamos na linha de frente, somos os mais expostos, pois temos contato quase diário com muitos da Saúde, o que é necessário para que o combate seja eficiente. Por isso, para que todos estejam protegidos, quem puder, fique em casa, evite aglomerações, lave as mãos, use máscara e tenha os cuidados recomendados para que a disseminação do vírus seja menor no município. Contamos com a colaboração de todos”, explica o prefeito.

De acordo com o médico e vice-diretor clínico do Hospital Regional de Vilhena, André Oliveira, todos os pacientes que apresentam sintomas de gripe são considerados casos suspeitos de covid-19, por padrão. “A recomendação de isolamento domiciliar é uma medida de prevenção, mesmo com sintomas leves. Pois sabemos que 80% dos que acabarem se contaminando apresentarão apenas sintomas leves ou serão assintomáticos”, explica.

Caso o resultado do exame, que será feito pelo Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública) de Porto Velho, for negativo, o prefeito retornará às atividades normais imediatamente. No último mês o resultado tem levado até 3 dias para ser publicado.

O teste

O método de testagem RT-PCR produz resultados confiáveis de três a sete dias desde o surgimento dos sintomas, sendo o 5° dia o ideal. Ele pode retornar dois resultados: a) positivo (significa que o paciente está com o vírus ativo em suas vias respiratórias superiores e a infecção está no início) e b) negativo (significa que o paciente não tem vírus ativo em suas vias respiratórias superiores ou a quantidade desse vírus é insuficiente para o teste detectar).

O exame é feito por coleta swab (com cotonete estéril) de secreção nasal e da garganta. Este exame detecta a presença do RNA (ácido nucleico) do vírus ativo. Portanto, antes de três dias o vírus não estará desenvolvido a ponto de ser detectado e depois de sete dias a maioria dos pacientes já terá eliminado o vírus de suas vias nasais superiores devido à ação dos anticorpos. Dessa forma, antes de três dias e após sete dias de sintomas o RT-PCR apresenta, na maioria dos casos, resultados negativos, embora antes dos três dias a pessoa possa ter o vírus ainda em desenvolvimento e após sete dias a pessoa possa ter o vírus já no sangue, pulmão e outros órgãos internos.

 

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo