Destaque

Eleições 2020 em Vilhena teve prisão, reeleição para Prefeito, renovação na Câmara e abstenção

Domingo, 15, foi um dia decisivo para os municípios em todo o país, em Vilhena o processo Eleitoral findou com algumas surpresas começando com três prisões, confirmadas pelo Juiz Eleitoral Vinícius Bovo de Albuquerque Cabral. Segundo o Juiz Eleitoral, três urnas tiveram que ser substituídas e o número de abstenções foi maior que o esperado.

Dos 61.182 eleitores somente 44.704 foram as urnas, votos Nulos representaram 4,79% e Brancos 2,42%. Reeleito a Prefeito Eduardo Japonês do PV recebeu 40,29% (16.714 votos), contra 33,47% dos votos obtidos por Rosani Donadon do PSC (13.882). Já o candidato Coronel Rildo do PODEMOS, ficou com 17,81% (7.387), Paulinho da Argamazon do REPUBLICANOS obteve 6,14 (2.547) e Miguel Camara do PSB 2,29% (952).

Na Câmara de Vereadores a renovação acertou em cheio, sendo o mais votado Dhonatan Pagani (PSDB) com 1.878 votos, confira como ficou a nova composição:

Dhonatan Pagani (PSDB) 1.878 votos; Zezinho da Diságua (PSD) 860 votos; Clerida Alves (AVANTE) 859 votos; Samir Ali (PODE) 838 votos; Ronildo Macedo (PV) 827 votos; Pedrinho Sanches (AVANTE) 730 votos; Wilson Tabalipa (PV) 719 votos; Professora Vivian (PP) 630 votos; Zeca da Discolândia (PSD) 619 votos; Ademir Alves (DEM) 565 votos; Sargento Damasceno (PROS) 526 votos; Nica Cabo João (PSC) 466 votos e Ze Duda (PSB) 425 votos.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo