DestaquePolítica

França Silva diz que nova regulamentação de ônibus escolares vai gerar mais conforto e segurança aos estudantes

Empresas que irão prestar serviços de transporte escolar ao município deverão ter ônibus com, no máximo, 16 anos de fabricação

Idealizador do projeto de lei que regulamenta o ano dos ônibus escolares de 20 para 16 anos de uso, o vereador França Silva (PV) conversou com a Gazeta Amazônica nesta semana para comentar acerca do projeto que foi aprovado na casa de leis nesta terça-feira, 17. França explicou que a fase embrionária do projeto aconteceu há mais de um ano, quando o próprio vereador participou de diversas vistorias em ônibus de empresas que prestam serviços para o município.

França Silva relembrou que assim que o debate acerca dos anos dos ônibus ganhou força entre o executivo e o legislativo, ele apresentou a proposta de redução para 16 anos. França explicou que foi feito um levantamento em diversos municípios do Estado para averiguar uma média de ano dos veículos aceito pela prefeitura para o transporte escolar. “Em alguns municípios como Chupinguaia, por exemplo, são aceitos apenas ônibus com, no máximo 15 anos de fabricação”, explicou.

França trabalha nesta nova regulamentação há mais de um ano – foto: Divulgação

De acordo com seu entendimento, garantir uma frota mais nova resulta em mais conforto, eficiência na prestação do serviço e principalmente tranqüilidade às famílias cujos filhos dependem deste transporte para conseguir ter acesso à educação. Defensor da criação de uma frota municipal própria de transporte escolar, o vereador comemorou a aprovação da lei e disse que ela (a lei) é um avanço para a conquista da prestação própria deste tipo de serviço. “Não é a prefeitura que tem que se adaptar as empresas, é as empresas que vão prestar serviço à prefeitura que precisam cumprir a lei”, declarou o vereador durante sessão em que o projeto foi aprovado.

A proposta que segue para a sansão do prefeito Eduardo Japonês (PV) tinha como meta inicial, proposta pelo próprio executivo, tornar como tempo limite de uso destes veículos 18 anos. O vereador chegou a propor que fosse regulamentado o tempo de 15 anos de fabricação como prazo limite para uso dos veículos, porém o prazo de 16 anos acabou se tornando consenso entre os representantes do executivo e legislativo.

França Silva durante averiguação dos veículos – foto: Divulgação

 

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo