Especial

Escola Vilma Vieira inicia projeto para contribuir com o Hospital do Câncer de Barretos

Equipe escolar e alunos estão recolhendo tampas para ajudar no custeio do hospital

A escola Vilma Vieira começou a colocar em prática no dia 30 de setembro um projeto que está mobilizando a instituição de ensino como um todo e também a comunidade em seu entorno: o recolhimento de tampas variadas. Todo material recolhido tem inicialmente como destinação a sede da escola. A cada 60 dias, um caminhão do Hospital do Câncer de Barretos (SP) passa pelo estado e leva o que foi apanhado pelo grupo.

O dinheiro obtido pela venda destas tampas é destinado para o custo operacional do Hospital do Câncer. A ideia nasceu através de uma conversa entre as professoras Kátia Barros, representante da pasta do meio ambiente da Secretaria Municipal de Educação (Semed); além das professoras e supervisoras Alexandra Klauss e Marinês de Souza Silva. A ideia foi apresentada aos professores, e em seguida aos alunos, que de imediato aceitaram participar.

A escola, cuja gestão fica sob os cuidados da diretora Marli Cunha Miranda, possui 541 alunos – 445 são do ensino fundamental e 96 do programa Educação para Jovens e Adultos (EJA) – além de contar com 13 professores e a equipe gerencial. “A meta inicial era arrecadar no máximo 20 mil tampas. Tendo em vista o fato de que temos 18 turmas, não seria uma meta tão difícil de alcançar”, explica a supervisora Marinês de Souza Silva.

O projeto deu tão certo que há turmas que já passaram a meta individual e recolheram quase 4 mil tampas. A escola encerra a etapa 2019 do projeto no próximo dia 29 de novembro, e o volume arrecadado chamou a atenção do Hospital do Câncer. No último dia do evento, o coordenador regional da entidade para a Região Norte, Leandro Alves Boaventura, confirmou presença para a premiação das turmas que mais recolheram tampas.

Aprendizado

A educadora explica que um dos principais objetivos do projeto que está em curso na escola, é mostrar aos alunos o valor de ações cidadãs, além de explicar na prática o que é educação ambiental. “É uma das inúmeras formas que utilizamos para proporcionar algo a mais a comunidade que atendemos. Acreditamos que com projetos como esse, os alunos poderão entender um pouco mais a importância de cada um na sociedade e desenvolver valores que poderão ser levados ao longo de suas vidas”, defendeu a professora.

Quem quer ajudar?

A escola informa que o projeto irá continuar em 2020, porém com algumas modificações. O grupo irá criar pontos coletores em bares, restaurantes, academias e pontos comerciais que queiram contribuir com a causa.

Aqueles que quiserem doar as tampas, basta entrar em contato com a escola pelos telefones (69) 9 8437-3656 ou 3919-7036.

Lista com as tampas recolhidas pelo grupo – foto: Reprodução

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo