DestaquePolítica

Deputado fala sobre CPI e diz que ANEEL vem sendo complacente com Energisa

Mauro Nazif é o único da bancada federal que continua debate e exige melhorias por parte da empresa

Em conversa com o site Gazeta Amazônica em sua última passagem por Vilhena, na semana passada em reunião através da qual ser consolidou o nome do professor Miguel Câmara como pré-candidato a prefeito de Vilhena (leia aqui) o deputado federal Mauro Nazif (PSB) fez um balanço das ações de seu primeiro ano de mandato e destacou o trabalho em prol do povo de Rondônia. Confira abaixo os principais pontos da entrevista:

Transposição

Nazif relatou que uma das causas pelas quais tem trabalhado é da adequação dos beneficiados pela transposição. Um dos principais pontos de seus questionamentos é a inserção de aposentados e pensionistas com 100% dos direitos que não transpuseram. Outro ponto de abordagem do parlamentar é a consolidação dos servidores nas categorias Nível Intermediário (NI) e Nível Administrativo (NA).

O deputado explicou que, na transposição, alguns servidores foram lotados em cargos diferentes dos que estavam no Governo, fato que reduziu seus salários. “São servidores entre 64 e 67 anos que recebiam em torno de R$ 2.4 a R$ 2.5 mil e que nessa modificação tiveram seus vencimentos reduzidos a R$ 1.2, R$ 1.3 mil. Trata-se de uma situação injusta que devemos mudar”, relatou.

Outro ponto de debate discutido por Nazif em Brasília é o que definiu como “presente” dado pelo Governo Federal aos servidores beneficiados com a transposição: eles terão que trabalhar mais cinco anos e ainda com salários reduzidos. “Esta é uma briga que está sendo travada no ministério da economia junto ao FUJU para demover a União de fazer isso com os servidores”, explicou o deputado.

Energisa

Um dos parlamentares mais ativos na cobrança de melhorias por parte da Energisa – no que diz respeito principalmente aos valores cobrados na tarifa pela empresa, além da má qualidade do fornecimento – Mauro Nazif definiu a situação como um problema sério para o estado de Rondônia.

Nazif relatou que uma das conquistas dessa queda de braço é a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) contra a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). Ele explicou que a natureza da agência é defender os consumidores, porém, em seu ponto de vista, ela vem sendo complacente com a Energisa.

O deputado relatou que a CPI vai analisar principalmente a licitação que deu direito à Energisa de se responsabilizar pela distribuição de energia em Rondônia. “A Energisa está presente nos estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Goiás, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Mato-Grosso, Rondônia e Acre. Onde ela está vem gerando dano à comunidade. O país todo está sofrendo com essa empresa”, disse.

Nazif relatou, ainda, que a Energisa assumiu o contrato em Rondônia – com aval da ANEEL – prometendo redução de 3% no valor da conta e melhoria na qualidade do serviço. “Na verdade isso não aconteceu; ao contrário: houve aumento de quase 100% no valor da conta e a qualidade do serviço sendo questionada”, destacou o deputado.

Desde o início do debate entre o parlamentar, a ANEEL e a Energisa, Nazif relata três grandes conquistas: a primeira foi evitar o reajuste de 20% no valor da conta (em outubro do ano passado), a desistência por parte do Governo Federal em taxar a energia solar e a instauração da CPI contra a ANEEL.

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo