Deu na WEB

Sobe para cinco o número de mortos de grave acidente de ônibus e caminhão tanque na BR 364, na região de Itapuã do Oeste

O quinto óbito foi registrado ontem, segunda-feira, 19. Todos já foram identificados oficialmente pelo IML

Os números de mortos no acidente que terminou com ônibus e caminhão tanque carregado de combustível na BR 364, região de Itapuã do Oeste, RO, aumentou para cinco. O acidente ocorreu na terça-feira, 13, deste mês.

Quatro pessoas que morreram na tragédia foram identificadas: Élcio Ferreira Jordão, Olga Shultz Cruz, Lúcia Helena da Silva, Naate Vieira Gonçalves.

O quinto e último óbito registrado até o momento trata-se de um homem que havia sido transferido para o Hospital João Paulo II, em Porto Velho. Élcio era o motorista do ônibus que levava os pacientes de Buritis para Porto Velho, onde fariam tratamento.

Olga estava acompanhando um paciente que iria ser atendido no Hospital Santa Marcelina, em Porto Velho.

Lúcia Helena de 44 anos, estava indo para Porto Velho onde passaria por uma consulta de retorno com um ortopedista. Segundo informou o filho, ela havia fraturado a perna em um acidente de trabalho durante a colheita de café.

Já Naate Vieira tinha 52 anos, ela levava o netinho de 1 ano e 7 meses para uma consulta médica em Porto Velho, felizmente a criança foi socorrida com vida.

Todas as vítimas que morreram na tragédia já foram identificadas oficialmente pelo IML através de material genético fornecido pelos familiares.

O acidente

A tragédia ocorreu na BR 364, a cerca de 100km da capital rondoniense, na região de Itapuã do Oeste, na terça-feira, 13.

O ônibus transportava pacientes do município de Buritis para realizarem tratamento em Porto Velho, quando acabou se chocando de frente com um caminhão tanque, acredita-se que algum dos motoristas possa ter dormido no volante, pois o momento do acidente ainda era de madrugada.

O motorista do ônibus, Élcio Ferreira Jordão, morreu carbonizado na hora, já o motorista do caminhão foi retirado por uma testemunha que passava na hora do acidente.

Fonte
Planeta Folha

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo