O dia

Caso Jéssica: ex-servidor acusado de fazer “teste de fidelidade” é condenado a 14 anos

No julgamento anterior, anulado pelo TJ, Ismael foi condenado a um ano de prisão

Acabou na tarde desta quinta-feira, 24, o julgamento de Isamel José da Silva, namorado de Jéssica Moreira Hernandes, que à época em que fora assassinada tinha 17 anos. Jéssica teria reprovado em um “teste de fidelidade” idealizado pelo namorado e que tinha como ator principal seu primo, Diego Parente (relembre toda história AQUI).

O corpo de jurado não acreditou na versão de Ismael e o condenou a 14 anos de prisão. Seu primo, Diego, já condenado no julgamento anterior a 19 anos, esteve presente como testemunha da acusação e manteve a sua versão à íntegra: de que a garota foi assassinada por Ismael por não ter passado no teste promovido pelos primos. O ex-servidor público não terá direito de recorrer da decisão em liberdade.

Jéssica sumiu no dia 20 de abril de 2017. Ela havia saído de bicicleta e não voltou mais pra casa. Quatro dias depois o corpo foi encontrado na linha rural enrolado em uma lona. Duas mulheres que faziam caminhada sentiram um cheiro forte e ao checarem a procedência encontraram o cadáver.

 

O corpo de Jéssica foi encontrado quatro dias depois de seu desaparecimento – foto: Álbum Pessoal

As investigações policiais concluíram que a menina foi atraída até uma residência por Diego, que alegara possuir provas de que Ismael teria traído a garota. Já no imóvel, Jéssica estava envolvida na trama e conversava com Diego enquanto Ismael ouvia a conversa escondido em outro cômodo.

A menina teria confirmado uma traição – os investigadores acreditam que Jéssica assumiu ter traído o namorado na tentativa de obter informações de Diego quanto uma possível infidelidade do companheiro – fato que gerou a revolta do namorado que desferiu um golpe de ferro na cabeça da garota.

Já desmaiada, Jéssica foi esfaqueada. Os jurados não condenaram Ismael pela ocultação de cadáver, mas somente pelo homicídio da menina.

Diego Parente, primo de Ismael, manteve sua versão desde o início – foto: G1

 

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo