DestaqueO dia

Para comitê, reabertura do comércio em Vilhena depende da situação epidemiológica do município

Previsão do grupo é de que o Município possa retomar algumas atividades a partir do dia 31

NOTA OFICIAL DO COMITÊ GESTOR MUNICIPAL DE ENFRENTAMENTO AO CORONAVÍRUS DE VILHENA

Os membros do Comitê Gestor Municipal de Enfrentamento ao Coronavírus (COVID-19) em Vilhena se reuniram na tarde desta quarta-feira, 25, para deliberações a respeito do combate à pandemia no município.

Em agradecimento àqueles que se empenharam em seguir as recomendações de isolamento e higienização, os membros parabenizam todos que lutam pela Saúde coletiva, mesmo que isso envolva sacrifícios pessoais e financeiros.

Os resultados negativos para COVID-19 de dois testes e a ausência de casos confirmados em Vilhena demonstram que os esforços estão valendo a pena. Nesta semana crítica, em que os especialistas preveem o período de maior contágio no país, os vilhenenses resistiram com responsabilidade. Por isso, o Comitê prevê que a partir do dia 31 de março, a realidade do município possa começar a voltar ao normal.

A liberação do comércio foi considerada e julgada necessária acontecer de acordo com a evolução do cenário epidemiológico local. Entretanto, após pesar questões sanitárias e econômicas, o Comitê informa que o Decreto n° 48.975/2020 permanece em vigor e pede o fiel cumprimento das medidas nele expostas até novas deliberações, uma vez que estes dias são fundamentais para avaliação da propagação e controle da pandemia.

O Comitê também considerou a dificuldade na aquisição de equipamentos de proteção individual, especialmente de máscaras, álcool em gel e luvas, tanto para os profissionais de Saúde quanto para os colaboradores da iniciativa privada.

Quando a flexibilização do decreto acontecer, os especialistas de Saúde recomendam que restrições essenciais já determinadas continuem, como a proibição de aglomerações, obrigatoriedade na disponibilização de meios de higienização, distanciamento entre pessoas e outras condições necessárias para amenizar a disseminação da COVID-19 no município.

Em meio à expectativa de uma elevação importante no número de contaminados no país, o Comitê se esforça diariamente na compra de equipamentos para tratar casos graves que venham a surgir. Por meio de apoio de empresários, da Câmara de Vereadores e outros, já há recursos suficientes para a montagem de leitos emergenciais, contudo, o Brasil tem escassez de respiradores, EPIs e outros aparelhos necessários para leitos de tratamento intensivo.

Por isso, quanto mais a cidade se proteger agora, menos leitos serão ocupados nas semanas duras que podem chegar. A maior estratégia de Saúde para todos é a prevenção de cada um. Continuaremos atentos às necessidades de todos, para que a dose do “remédio” seja adequada às necessidades locais com base nas recomendações dos profissionais da Saúde.

Portanto, o Comitê relembra que o canal oficial de informações sobre a pandemia na cidade é a Prefeitura de Vilhena, que diariamente publica informações para combater, ao mesmo tempo, o vírus e as fake news, nesta luta que une os vilhenenses em prol do futuro do município.

 

Fonte
Da Assessoria

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo