DestaqueO dia

Em menos de 24h dois homicídios são registrados em Vilhena

Três homicídios já foram registrados em menos de uma semana, além de uma tentativa

Os dias de calmaria em Vilhena cessaram mais rápido do que se imaginava em 2020. Em quatro dias, três pessoas foram assassinadas no município. O último caso aconteceu na madrugada desta terça-feira, 28. Moradores do residencial União ligaram para a Polícia Militar (PM) e informaram que na Rua 116.15 havia um homem ensanguentado jogado no chão.

Ao chegarem ao local, os militares constataram a morte da vítima Cláudio Gomes Soares, de 27 anos. Os policiais relataram que ele é viciado em drogas e foi morto a facadas. Sete pelo menos. Uma delas atingiu seu pescoço e o restante foi desferido em suas costas.

O segundo caso aconteceu horas antes, no pátio do posto Parada Grande. De acordo com as primeiras informações obtidas pelos investigadores de polícia, o motorista de caminhão Emerson Valdir Mattes, 44, conhecido como “Bugalo” estava de cabeça baixa e não viu os autores do crime chegarem.

Os assassinos utilizaram um Volkswagen sem placas. Um deles desceu com o rosto coberto por uma camiseta e efetuou vários disparos contra a vítima. O primeiro tiro atingiu seu braço e o fez cair no chão. Em seguida o autor do crime atirou na nuca da vítima.

O último caso aconteceu na sexta-feira, 24, na Rua 1501, bairro Cristo Rei. Um filho da vítima encontrou o corpo em uma casa utilizada por viciados como boca de fumo. De acordo com relatos de algumas testemunhas, o imóvel estava movimentado naquele dia e em certo momento várias pessoas saíram correndo do local. Horas depois de o corpo ser encontrado, a casa foi incendiada.

Operação

Coincidentemente, a Polícia Militar iniciou uma operação para coibir diversos tipos de crimes no município, notadamente roubos. Diversos policiais estão nas ruas investigando os crimes.

 

 

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo