DestaquePolítica

Secretário de Japonês investigado pelo MP quer gastar R$ 60 mil com salgadinhos para coffee break na Semed

Atividades presenciais estão suspensas; decreto do prefeito também proíbe aglomerações

A prefeitura de Vilhena lançou nesta semana uma licitação na modalidade pregão eletrônico através da qual a Secretaria Municipal de Educação (Semed) pretende contratar empresa para o fornecimento de itens para coffee break para eventos realizados pela pasta. O valor total da compra é de R$ 58.923,10.

A informação acerca da compra chegou ao site através de um servidor ligado à Semed. Sob a condição de anonimato, ele disse que soa estranho esse tipo de contratação da pasta.

“As atividades escolares tradicionais estão suspensas, os professores estão dando aula pelo WhatsApp, a Semed não buscou nenhuma plataforma educacional à distância pra tentar facilitar a vida dos professores e ter mais controle das atividades, mas quer gastar quase R$ 60 mil com salgadinhos. A gente não tem nem perspectiva de quando as aulas serão retomadas. Esse gasto é muito estranho, até porque não se pode ter aglomeração, é uma proibição da própria prefeitura. Como fazer coffee break à distância?” Questiona o informante.

Fachada da Semed em Vilhena – foto: Rômulo Azevedo\Gazeta Amazônica

A Semed está sob investigação do Ministério Público (MP) depois que o titular da pasta, Wilian Braga, confirmou em sabatina na câmara de vereadores que entregou sem nenhum critério e de forma suspeita, diversas cestas básicas com produtos da merenda escolar acompanhado pela ex-secretária, Vivan Repsold (PP) que é pré-candidata a vereadora.

A câmara de vereadores investigou e constatou (inclusive com declarações do próprio secretário) que a Semed não seguiu as orientações exigidas pelo Ministério da Educação (MEC) sobre essa distribuição.

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo