Destaque

Um ano depois da primeira morte, Rondônia ultrapassa 4 mil óbitos por Coronavírus

Nesta segunda-feira (29) completou um ano da morte da idosa Geraldina R.R, 66 anos, a primeira vítima fatal do Coronavírus em Rondônia, O Estado ultrapassou nesta segunda-feira a marca de 4 mil mortes.

No boletim registrado pela Agevisa nesta segunda-feira, o número de pessoas que morreram por conta de complicações da doença chegou à 4.046 em Rondônia.

A maioria das mortes acontece em Porto Velho, com 1.805, seguido de Ji-Paraná, com 336 mortes. Logo atrás vem o município de Ariquemes, com 316. Nas últimas 24 horas, foram confirmados 56 novos óbitos.

No início da pandemia, pesquisadores e profissionais de saúde afirmavam que idosos, pessoas com comorbidades, e obesos, seriam o grupo que estaria mais propício a ter complicações da doença e poderia vir a óbito.

Com o passar do tempo, o vírus sofreu mutações. Novas cepas da Covid-19 foram encontradas no Brasil, inclusive em Rondônia.

A doença avançou no Estado, e pessoas que não faziam parte do grupo de risco foram a óbito por complicações da doença. O Coronavírus faz cada vez menos distinção entre jovens e velhos, saudáveis e doentes.

A atenção das autoridades de saúde aumentou ainda mais, e novas orientações referente a doença foram repassadas pelo secretário de saúde Fernando Máximo. Ele chegou a usar as redes sociais para falar que jovens infectados com o vírus estavam morrendo. O mesmo alerta foi feito pelo Governo.

Para tentar frear a doença, o Governador Marcos Rocha assinou vários decretos desde o início da pandemia, muitos deles fechando o comércio de todo o Estado. A circulação em via pública durante a noite e proibição de venda de bebida alcoólica foram uma das medidas adotadas para diminuir o número de internações e mortes.

Atualmente, Rondônia enfrenta um grande problema com a falta de leitos de UTI em todo o Estado. Com os hospitais lotados de pacientes internados, 90 pessoas estão na fila de espera por uma vaga em leitos de UTI na rede estadual de saúde.

Fonte
Rondoniagora

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo