Especial

Mais de 150 kg de drogas são apreendidas pela PRF no mês de julho em Rondônia

Prisões em Vilhena e Ji-Paraná são mais frequentes

O site Gazeta Amazônica fez um balanço com ajuda da assessoria da Polícia Rodoviária Federal (PRF) acerca das apreensões de drogas ilícitas que foram apreendidas pela força policial somente no mês de julho deste ano. O que chama a atenção é o volume. Até o fechamento desta reportagem, foram mais de 150 quilos de entorpecentes retirados de circulação, isso sem contar as ações das demais forças policiais.

Em detalhamento, foram 59.5 quilos de cocaína; 70 quilos de crack; 19.3 quilos de maconha e 7.5 quilos de skunk. A PRF tem observado que a pouco tempo a maioria das apreensões vem ocorrendo nos municípios de Vilhena ou Ji-Paraná. A cocaína, de acordo com policiais, geralmente é oriunda da fronteira com a Bolívia e tem diversos destinos de acordo com o relatório policial.

Outro detalhe que tem se observado nas apreensões, é que a maioria delas acontece em ônibus interestaduais, porém as maiores quantidades geralmente são interceptadas sendo transportadas em veículos particulares.

Uma mudança notada pelos policiais, quanto ao transporte de drogas, é a criatividades dos traficantes. Policiais relatam que o modus operandi do tráfico para tentar passar seus produtos tem sido diversificado. Recentemente foram feitas apreensões de droga diluída e sendo transportada dentro de um esconderijo eletrônico no painel do carro, uma forma clara de tentar dificultar o trabalho dos policiais.

Traficantes têm aprimorado o modus operandi na tentativa de dificultar o trabalho da polícia; apreensões mais frequentes acontecem em ônibus, carregamentos maiores geralmente estão em veículos particulares

O Código Penal brasileiro prevê pena de três a 15 anos de prisão para o crime de tráfico de drogas, que é considerado hediondo. As pessoas que transportam esse tipo de produto são chamadas no universo do crime de “mulas”. É comum nesse tipo de apreensão, o preso (ou presa) assumir a propriedade do entorpecente e omitir informações que contribuem com a prisão de mais pessoas envolvidas no crime.

Vale ressaltar que o trabalho da polícia também precisa da contribuição da comunidade. Logo, qualquer informação pode ajudar os policiais a aumentar a eficiência dos seus trabalhos. Para tanto, o telefone de contato da PRF é o 191.

 

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo