DestaquePolítica

Samir Ali defende que servidores municipais não sejam castigados com aumento da contribuição previdenciária e consegue adiar votação do projeto

Votação foi adiada pelo prazo de 15 dias

Na manhã desta sexta-feira (29), entrou em pauta a votação do projeto de lei nº 5.860/2020, de autoria do Poder Executivo, que altera o artigo 102 da Lei nº 5.025, de 20 de dezembro de 2018, que dispõe sobre a reestruturação do Regime Próprio de Previdência Social – RPPS e o Instituto de Previdência Municipal de Vilhena – IPMV no Estado de Rondônia. Altera a alíquota de contribuição dos encargos previdenciários por parte dos servidores de 11% (onze por cento) para 14% (quatorze por cento), a partir de 1º/03/2020.

O vereador Samir Ali (Podemos) requereu o adiamento da votação do projeto de lei pelo prazo de 15 dias, o que foi acatado por unanimidade pelos vereadores presentes.

“Temos que esgotar todas as possibilidades antes de votar essa matéria. Na realidade do nosso município não podemos cortar 14% do salário de um servidor que ganha R$ 1.150,00, como um técnico de enfermagem por exemplo, em meio a essa pandemia. É preciso ter responsabilidade e não podemos deixar o servidor ser castigado, vamos chamar à Previdência para ter um debate e esgotar todos os recursos”, justificou Samir, que aproveitou para agradecer aos vereadores por terem votado a favor do adiamento.


Texto: Diretoria de Comunicação

Foto: Diretoria de Comunicação

Área de anexos

Rômulo Azevedo

Jornalista e graduado em Marketing, atua na comunicação desde 2006. Especialista em Jornalismo on-line, com experiência em Assessoria de Comunicação e Marketing. Está na Gazeta Amazônica em busca de novas formas de se fazer Jornalismo em Rondônia

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo