Especial

Estudantes vilhenenses enfrentam viagem dramática para a capital graças a conduta de motorista da SEMED

O que era para ter sido uma festa esportiva para alunos da Escola Tenente Melo, que fica no distrito de São Lourenço, que foram a capital participar com destaque de competições, quase virou tragédia. Isso porque o motorista indicado pela Secretaria Municipal de Educação para levar os alunos comportou-se de forma inconsequente, conforme declarou a responsável pela comitiva, fazendo com que a viagem fosse um drama.

O caso começou pela indicação do condutor do ônibus escolar, que de acordo com a diretora da escola, Ana Laura Royer, já tinha tido atrito com os alunos. O nome do servidor não foi informado, mas a titular da SEMED, Vivian Repessold, não atendeu ao pedido. E assim começou o pesadelo.

Segundo relatos o motorista fez o percurso dirigindo perigosamente, cometendo vários abusos, colocando todos em risco. Em determinado momento ele acabou acertando numa carreta, arranco o retrovisor do cargueiro. O condutor do cargueiro perseguiu o ônibus escolar dando sinal de luz para que parasse, mas não atendido. Logo em seguida uma caminhonete emparelhou com o coletivo, e uma arma foi apontada em direção ao ônibus, obrigando-o a parar.

Foi quando a carreta que havia sido abalroada os alcançou, e houve uma discussão onde o motorista do cargueiro aconselhou os alunos a não prosseguirem com a viagem, pois as manobras de risco do outro estavam sendo comentadas pelos carreteiros em viagem naquele momento e havia um clima de tensão formado. O homem não quis ser reembolsado do estrago no retrovisor da carreta, mas exigiu o número de telefone da escola e o nome do motorista do ônibus.

A viagem prosseguiu, assim como o comportamento insólito do motorista voltou a se repetir no retorno. Apesar da professora responsável pela comitiva de 14 alunos atletas ter prometido uma visita a pontos turísticos da capital antes do retorno, o motorista disse que tinha compromissos em Vilhena e tinha quer voltar imediatamente. Os estudantes não obedeceram e ele simplesmente fechou a porta e veio embora, deixando todos na capital. O retorno para casa só foi possível com a diretora da escola pagando do próprio bolso as passagens de todos, gastando mais de dois mil reais.

Todo o caso foi registrado na polícia de Porto Velho, onde o motorista foi denunciado por direção perigosa. Este incidente aconteceu ao longo do final da semana, e por enquanto a SEMED não se manifestou sobre o assunto.

 

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo